Celebrando os Votos Perpétuos: entrevista com Irmão Júnior

Boletim Sacramentinos: Conta pra gente, de onde você é? Onde nasceu? É filho único? 

Irmão Júnior: Sou natural da cidade de Maceió, Estado de Alagoas. Sou o terceiro filho de quatro, porém meu irmão mais velho faleceu aos dois meses de nascido. Então, ficamos só três: minha irmã que sucedeu o falecido “mais velha”, eu e a minha irmã mais nova.

Boletim Sacramentinos: Como se deu seu primeiro encontro com a Comunidade Sacramentina? 

Irmão Júnior: Sempre senti um chamado de Deus para servir ao Seu Reino, por isso, trabalhei por muitos anos na Arquidiocese de Maceió, com os jovens. Contudo, por mais que eu servisse em cada encontro, retiro ou grupo de jovens, eu sempre sentia a necessidade de que estes momentos perdurassem. Foi aí que resolvi buscar um lugar onde eu pudesse fazer duradouro meu serviço ao Reino. Foi então, que eu conheci os claretianos e depois, os sacramentinos.

Boletim Sacramentinos: Em que momento da vida você percebeu que seu compromisso com a fé e com a Comunidade Sacramentina representava uma verdadeiro chamamento divino? 

Irmão Júnior: Minha história com a Congregação é muito distinta, pois ela nasce de uma má experiência vivida, quando fui pré-novico dos missionários claretianos. Ao sair dos claretianos, ajudado por um casal, Robson e Ângela Pissolati, que me acolheram em sua casa durante dez messes (detalhe: eles só tinham me visto uma vez no antigo seminário claretiano), e também, por uma madrinha das obras das vocações sacramentinas, que foi a responsável em me apresentar aos sacramentinos, chamada Flor Clemente (falecida a quatro anos). A princípio, confesso que não estava muito afim de entrar na família de Santo Eymard, mas com o passar do tempo, fui me apaixonando pelo fundador e por sua missão eucarística, que só foi crescendo depois de cada etapa formativa da Congregação.

Depois de um bom tempo de caminhada com a família sacramentina, cheguei ao momento, onde eu pude discernir mais e melhor, que o meu lugar no serviço do Reino de Deus, era sendo um membro da Congregação do Santíssimo Sacramento, este tempo, foi no noviciado. Onde pude viver um período de oração e reflexão, visto que, no pre-noviciado, apesar de me sentir bem fazendo que fazia, mas eu não tinha tempo para rezar a vida e vocação, por causa das inúmeras atividades que se tem nesta etapa formativa.

Boletim Sacramentinos: O que representa, para você, como religioso sacramentino, a confirmação dos votos perpétuos?

Irmão Júnior: Hoje confirmando meus votos religiosos perpétuos, vejo que eles me ajudam a servir melhor a Deus e aos homens. Eles me fazem chegar a uma conclusão existencial: a de que cada ser humano, tem o seu lugar no mundo, basta buscar e discernir a vontade de Deus, pois, verdadeiramente uma pessoa só faz a sua vontade, quando esta, está inteiramente conectada a vontade de Deus, de outro modo, a vida será só ilusões e desencontros. Por isso, dizer sim a Deus, por meio dos votos perpétuos é para mim, não é um privilégio ou um status, e sim, uma forma de estar na presença de Deus, que se faz presente em cada Ser Humano, em cada Criatura e na Eucaristia.

Boletim Sacramentinos: Deixe uma mensagem para aquelas pessoas que sempre estiveram ao seu lado, seja apoiando seu caminho ou rezando por você, seja aquelas que te ensinaram a professar a fé sacramentina, além daqueles que querem estabelecer votos perpétuos. 

Irmão Júnior: Por fim, quero reder o meu louvor e a minha gratidão a Deus, que agiu em minha vida através da minha família, meus amigos, irmãos de caminhada sacramentina, paroquianos da Igreja da Boa Viagem- Bh, de Sete lagoas, Argentina e de Bogotá- Colômbia; também, por meio dos meus professores da teologia e principalmente pelos mais empobrecidos que vivem nas periferias do mundo excluídos e esquecidos, eles me fizeram ver a face de Dios no aqui e agora da minha existência, a vocês o meu muito obrigado. Por isso, peco a Virgem da Eucaristia e a São Pedro Julião Eymard que roguem a Dess Pai para que Ele derrame sobre suas vidas a sua graça e a sua bênção. Assim seja!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.